sábado, 25 de fevereiro de 2012

Exportação de AVCHD para DVD sem perder (muita) qualidade. Como fazer?


Exportação de AVCHD para DVD sem perder muita qualidade. Como fazer?

Tem muitos seguidores do blog perguntando sobre exportação para DVD com perda acentuada da qualidade e excesso de comb na imagem (serrilhamento). Alguns me perguntam se o processador tem influência na qualidade da imagem. A resposta é negativa. O processador influencia no tempo de processamento dos arquivos, nunca na qualidade deles. Processadores fazem cálculos matemáticos. Então 2 + 2 será sempre igual a 4 em qualquer um deles. O tempo para ele calcular e lhe dar a resposta é que dependerá da capacidade de processamento. Hoje quase todos nós filmamos em HD e depois entregamos o trabalho em SD. Os clientes ainda preferem o DVD ao invés do BluRay. Eles na verdade não notam muito essa perda de qualidade porque, ao contrário de nós, ainda não acostumaram o olhar a qualidade da alta definição.

Se importam mais com  conteúdo em si e a carga emocional que o registro proporciona. Mas isso é outro assunto. Nós observamos mais os detalhes técnicos, como definição da imagem, separação de cores, foco e contraste das cenas. E normalmente esses parâmetros quase sempre ficam insatisfatórios em conteúdos filmados originalmente em HD e finalizados em SD.

Então vamos as dicas. Mas antes vamos abrir um parêntesis para saber como o Premiere trata o video previewColocar no modo Full para Playback melhora a resolução da imagem (bem entendido que não interfere na qualidade final, apenas na visualização). Mas a exibição do vídeo preview vai ser a default do Première. Você pode mudar isso nas especificações iniciais de um novo projeto ou de uma nova seqüência em uma timeline existente, através da aba Settings na janela New Sequence e no final dessa janela, marcando as opções Maximum Bit Deep e Maximum Render Quality. Dessa forma seu preview terá a melhor qualidade possível. 

Mas cuidado: Quando o projeto está pesado, o codec é muito comprimido e sua workstation não é potente, o vídeo pode apresentar delay, saltos e mesmo travar o projeto ou sua máquina toda. É preciso ver se realmente é necessário toda essa qualidade durante o preview de edição. Se está usando o MPE por hardware através da placa de vídeo, a qualidade da placa também influi. Pois o que estamos vendo é um fluxo de vídeo sendo renderizado, para visualização instantânea, pela GPU. Quanto melhor a GPU melhor e mais rápido ocorre esse render em tempo real de forma que pensamos não haver render nenhum.

Portanto se você está achando que a qualidade do vídeo que vai ser exportado está rui, se baseando pelo monitor de preview sem mudar as especificações originais do Premiere, escolha um pequeno trecho do vídeo, onde você esteja com dúvidas quanto a qualidade, mude as especificações de preview criando uma nova timeline e cole o trecho do projeto desejado com todos os efeitos.  De um render e observe ao final, observe no monitor ou janela de preview se a qualidade melhorou. Dada essa dica, vamos ao assunto principal.


Se você filmou em HD, edite tudo em HD. Mas se você tem certeza que não vai precisar entregar em alta definição e vai simplesmente descartar ou arquivar o material bruto em HD, você pode tentar uma segunda opção:  editar diretamente o material em HD  em um projeto  SD.  Basta abrir um projeto já em formato parecido com o destino final. Se vai ser DVD escolha na tela de abertura do Première ou qualquer outro programa de edição um formato SD. No Première seria:

DV NTSC Widescreen 48 Khz:

A janela Preset Description vai mostrar essas características:

For editing with IEEE1394 (FireWire/i.LINK) DV equipment.
Widescreen NTSC video (16:9 interlaced).
48kHz (16 bit) áudio.
General
Editing mode: QuickTime DV NTSC
Timebase: 29,97fps

Video Settings
Frame size: 720h 480v (1,2121)
Frame rate: 29,97,00 frames/second
Pixel Aspect Ratio: D1/DV NTSC Widescreen 16:9 (1.2121)
Fields: Lower Field First


Audio Settings
Sample rate: 48000 samples/second


Aqui cabe uma informação importante. Tome cuidado para não inverter a ordem dos campos de um vídeo entrelaçado. Lembre-se que um vídeo em alta definição gravado em 60i (30 frames entrelaçados por segundo) com o codec AVCHD é sempre Upper Field First. Então antes de começar a editar, após importar todos os vídeos para seu projeto, na janela de Projetos (aquela onde fica a lista de vídeos importados) clique em cada um com o botão direito e escolha Modify>Interpret Footage e no campo Field Order troque a ordem dos campos para Lower Field First. Isso evitará a degradação da imagem e o serrilhado na hora da exportação final. Se o codec que sua filmadora utilizou for Lower Field First, isso não é necessário, pois a ordem já está correta.

Feito isso, importe o material bruto em AVCHD 1080p ou 1080i para a timeline. É lógico que o vídeo vai ficar maior que a janela de edição. Mas aí reside uma grande vantagem, você pode optar por usar o comando Scale para diminuir o vídeo inteiro, para ele caber na janela, ficando com uma margem para reposicionar o enquadramento utilizando somente o que deseja destacar da cena ( ganhando a vantagem poder fazer pan, tilt e zoom).

Repare na imagem abaixo, que a mão descreve um movimento rápido de descida, apesar do blur do movimento, os contornos dos dedos são suaves, as cores são bem gradadas nos tons de pele e na parede ao fundo e ao redor do tripé, não aparecem fantasmas ou artefatos de compressão.




Depois de editar tudo, não exporte para arquivo para depois usar outro programa de autoração de DVD. Eu aconselho a usar o Encore. Nesse caso é só exportar a timeline editada e pronta direto para o Encore usando o comando Adobe Dynamic Link > Send to Encore. No Encore, crie os capítulos e menus e grave o DVD final. Dessa forma não haverá tanta perda de qualidade. Observe a próxima imagem abaixo. Apesar da compressão VOB e da queda da resolução de HD para SD, os tons de pele continuam com bastante gradação e os contornos da mão em movimento ainda são suaves. Pequenos artefatos e algum fantasma já são notados no segundo plano.




Custei muito para descobrir isso. Eu sempre editava em uma timeline em HD e exportava em SD pelo Première para depois abrir o vídeo exportado no Encore e gravar o DVD. A qualidade era péssima.

Porque? Porque você está editando um material codificado em AVCHD, exportando em MPEG2 para depois converter novamente para VOB, que é o formato final do DVD. São 3 compressões no material. O resultado pode ser visto na imagem abaixo. Os contornos da mão em movimento não são tão precisos, aparece o serrilhamento.  As cores estão mais lavadas, e os tons de pele ganharam tons cinza não existentes na imagem original. Há presença de muitos artefatos ao fundo e ao redor do tripé. Os fantasmas nas bordas e contornos também estão mais visíveis.



Usando o método que acabei de indicar,  você passa direto de AVCHD para VOB executando apenas uma recompressão. Exportando antes para um formato como MPEG ou MOV você fara uma recompressão a mais e degradará a imagem sem necessidade.

Mesmo editando o formato HD redimensionado em uma timeline SD e depois usando o Encore ou outro programa para criar o DVD, o vídeo sempre perderá um pouco de qualidade. O importante é tentar ser o mais direto possível.

Nesse processo que ensinei o render e preview vão ficar mais pesados, se sua estação for lenta, pois o vídeo é maior que a janela e você terá que redimensionar todo ele. Durante a edição para assistir enquanto trabalha, mude a resolução de Preview da janela Program Sequence para 1/2 ou 1/4 que você consegue editar sem travamentos. Isso não vai afetar a qualidade final do vídeo, somente a visualização durante a edição.

Como você não vai renderizar nada para exportar, pois ao mandar direto para o Encore, é ele que vai fazer o render final para queimar o DVD, você vai ganhar algumas horas que gastaria esperando o Première renderizar e exportar todo o vídeo.

Outra dúvida que sempre me perguntam, é quanto ao formato entrelaçado que o Encore abre como padrão ao escolher a autoração de DVD. Mas lembre-se que você pode e deve alterar essa configuração para progressivo, pois aparelhos de DVD também tocam vídeos progressivos. Para isso, no Encore, vá na aba File e modifique as configurações em Trancode Settings e Edit Quality Presets. Lá você pode forçar o Encore a gravar um DVD em formato progressivo.

Fica aí a dica para testar. Depois comentem os resultados aqui nesse post. Antes de enviarem suas dúvidas, por favor veja se já estão respondidas nas Perguntas Freqüentes já respondidas e compiladas abaixo. Se quiserem comentar ou perguntar, usem a página de Dúvidas e Sugestões correspondente.

DUVIDAS FREQÜENTES:


1) Eu editava sempre em AVCHD 60i e depois o encore convertia para DVD e realmente a qualidade fica melhor fazendo como está descrito no post. Mas o que me incomoda é a visualização no segundo monitor, durante a edição, já configurei para Playback Full mas não melhora, tem algum macete?

R: Colocar no modo Full para Playback melhora a resolução da imagem (bem entendido que não interfere na qualidade final, apenas na visualização). Mas a exibição do vídeo preview vai ser a default do Première. Você pode mudar isso nas especificações iniciais de um novo projeto ou de uma nova sequencia em uma timeline existente, através da aba Settings na janela New Sequence no final dessa janela: marque as opções Maximum Bit Deep e Maximum Render Quality. Dessa forma seu preview terá a melhor qualidade possível. Mas cuidado: Quando o projeto está pesado, o codec é muito comprimido e sua workstation não é potente, o vídeo pode apresentar delay, saltos e mesmo travar o projeto ou sua máquina toda. É preciso ver se realmente é necessário toda essa qualidade durante o preview de edição. Se está usando o MPE por hardware através da placa de vídeo, a qualidade da placa também influi. Pois o que estamos vendo é um fluxo de vídeo sendo renderizado, para visualização instantânea, pela GPU. Quanto melhor a GPU melhor e mais rápido ocorre esse render em tempo real de forma que pensamos não haver render nenhum.


2) Iniciei um projeto da seguinte forma: For editing AVCHD Formats recorded in 1920x1080 square pixels (non-anamorphic), 16:9 interlaced, HD video at 29.97 frames per second, 48kHz áudio, Drop-Frame Timecode numbering. Porém tenho que entregar em DVD e pelo que vejo não é possível ter esse formato 1920x1080 em alta definição gravado no formato DVD. Se tenho esse projeto editado, qual seria a saída? Pelo que li do seu blog, teria que ter aberto um projeto com as configurações DV NTSC Widescreen 48 Khz e não AVCHD 1080i Square pixel.

R: Basta editar seu projeto nessa timeline AVCHD que está usando (em alta mesmo) e depois usar o Adobe Dynamic Link pra exportar a timeline pronta direto para o Encore. E isso sem precisar renderizar ou exportar o vídeo no Première. Quando o Encore abrir, escolha a opção DVD ou BluRay de acordo com o que deseja. O Encore vai se encarregar de fazer a conversão para SD se você escolher o formato DVD. É necessário apenas verificar nas configurações de exportação do Encore se o DVD vai ser criado com Lower Field First e mudar para Upper Field First, que é a ordem correta do vídeo original entrelaçado. Se o material original for progressivo, é importante mudar as configurações para No fields (progressive stream). Esses dois passos são extremamente importantes para evitar perda de qualidade e serrilhamento excessivo.

3) Editando o material em HD (mpeg) e exportando para o Encore, pelo Adobe Dynamic Link, é recomendado que a timeline esteja em HD, tal como gravado e editado (pensando na melhor qualidade de imagem para o DVD). Mas isso acaba demorando mais na transcodificação para VOB. Certo? Seguindo sua indicação de editar o HD na timeline SD (já que vai para um DVD mesmo), teremos uma gravação mais rápida no Encore (pelo fato do arquivo ser "menor") e com pouco perda de qualidade? Se sim, conforme eu entendi no post, teremos uma gravação mais otimizada e com um perda de qualidade aceitável. Seria esse o jeito safo?

R: Se você quer gerar um Bluray, exportar a timeline pelo Adobe Dynamic Link é o melhor caminho. Não se perde mais tempo do que exportar pelo Première para depois abrir no Encore, que também vai gastar tempo para renderizar para o DVD no final. No caso necessitar exportar seu projeto tanto em BluRay como quanto em DVD, o caminho deve ser editar o material em HD na timeline também em HD e exportar pelo Adobe Dynamic Link ou exportar em MPEG- DVD pelo Adobe Media Encoder e depois criar o DVD no Encore.

4) Quando vou assistir ao DVD que acabei de autorar, ele fica travando toda vez que passa por uma marcação de capítulo. Na verdade é um DVD de show, então a pessoa tem a opção de assistir ao show completo, ou por música. Mais quando clico na opção assistir o show que seria direto, ele dá uma travada toda vez que passa pela marcação que separa as músicas. Como resolver isso?

R: Verifique se todas as marcas de capítulos estão com a End Action configuradas para Not Set. E verifica também se as marcas de Override nos botões estão também configuradas para Not Set. Isso deve resolver. Se incluiu um botão Play All,  para assistir todo o filme, ele deve ser direcionado para o inicio da sua timeline. Isso deve resolver.

5) Quando capturamos com filmadoras em 720 x 480 (DVD) e 1280X720 (HD), ele captura em Lower Field First e até ai tudo bem. Só que para colocar no YOU TUBE e ver a filmagem pelo computador, por exemplo, seria melhor exportar em PROGRESSIVE SCAN?

Para entender sobre entrelaçado ou progressivo leia o arquivo especifico clicando aqui. Para exportar para o Youtube o melhor é progressivo, pois todo monitor de computador só pode exibir vídeos progressivos. Quando capta em entrelaçado tem que tomar cuidado também para não inverter a ordem dos campos e saiba que dependendo da forma como o programa de edição vai fazer a conversão de entrelaçado para progressivo, você pode perder muita qualidade de imagem. Lei a sobre isso clicando aqui

Grande abraço a todos!

Marcelo Ruiz