terça-feira, 20 de agosto de 2013

Terceira geração das minhas workstations com bastante novidades.

As workstations Thunderbird chegam a 3ª geração e com muitas novidades. Os nomes mudaram. Anteriormente chamadas de ProCS5 e ProCS6 em uma justa homenagem as suítes de edição da Adobe e de ESCARLATE em uma referência ao vermelho da marca RED, pioneira no cinema digital 4K, agora passam a se chamar simplesmente Thunderbird III (Terceira Geração). Esse sequencial numérico irá crescendo a medida do lançamento de novos modelos, geralmente acontecendo no início do terceiro quadrimestre de cada ano. 

Esse período é escolhido em função da consolidação do lançamento de novos hardwares e softwares pelos principais fabricantes, que geralmente acontecem no primeiro trimestre de canda ano, com a disponibilização para venda aos integradores a partir do segundo quadrimestre. Assim eu tenho um tempo para avaliar e testar as novidades, adotando o que realmente se mostrou viável do ponto de vista do custo-benefício.


De agora em diante, com a nova nomenclatura, não existirão diferenças físicas externas ou siglas que identifiquem as diferentes versões das workstations Thunderbird. Isso porque, com o lançamento da série III, grande parte dos componentes básicos foi unificada. Passando pelo gabinete, que já havia sido padronizado a partir da segunda geração, componentes como o soquete e chipset da placa-mãe e geração dos processadores, sistema de refrigeração e ventilação e interfaces de leitura de discos rígidos externos e cartões de memória serão os mesmos em todas as versões.

As novidades da linha 2014 são muitas. A adoção do poderoso chipset x79 e dos processadores I7 LGA2011 para todas as versões. O uso de refrigeração líquida na versãode entrada (antiga ProCS5) que antes era tradicional ar-ar. Mas as duas principais novidades são o uso da nova geração de placas aceleradoras de vídeo da série 700 da NVidia, baseadas no processador Kepler com até 2345 núcleos Cuda para renderização de vídeo em tempo real. 

E finalmente a enorme diminuição de peso e do tamanho dos gabinetes. A versão top de linha, anteriormente chamada de ESCARLATE passou de 35 para 18 quilos! Um alívio de 50% no total. Com essa redução de peso e tamanho e a adoção de uma nova tendência mundial em formato de gabinetes ( chamados de probe-cases), as workstations Thunderbird poderão ser facilmente transportadas para atender as necessidades de edição ou mesmo captação direta de vídeo onde for necessário. 

A padronização de componentes-chave também vai facilitar e diminuir custos caso o proprietário opte por fazer o upgrade ao final do primeiro ano de uso, conforme nossa política de garantia estendida e troca, que foi estendida a todos os modelos das gerações anteriores. E finalmente o mais importante: todas essas mudanças aconteceram com um reajuste mínimo de preços. Na verdade pode-se dizer que em virtude do aumento do dólar e das melhorias introduzidas na Geração III o valor agregado aumentou e o custo, na verdade diminuiu. 

Mas sempre é bom lembrar que em virtude do desempenho fraco de nossa economia, a alta prevista para componentes importados nos próximos meses  é bastante impactante e com a retração nas compras, está havendo ainda um certo desabastecimento de componentes mais sofisticados. Então se você meu leitor estiver interessado em adquirir uma workstation comigo, não deixe para o final do ano. 

Grande abraço a todos!

Marcelo Ruiz

8 comentários:

  1. Olá Marcelo, gostaria de maiores detalhes sobre as thumderbird III. Pode entrar em contato por email? Obrigado.
    Jair
    jair@lumenfilmes.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jair,

      Deu uma olhada no blog de sua produtora e vi que seu negócio é cinema.
      Vou lhe mandar um email.

      Abraços

      Marcelo Ruiz

      Excluir
  2. Olá Marcelo, eu gostaria de saber quantos por cento o Premiere usa da placa de video pra renderizar ? E se ele reconhece as placas de video mais novas ?
    Eu atualmente uso o Sony Vegas mas quero aprender a trabalhar no Premiere.
    A minha VGA é uma GTX 780 no Vegas ele não " USA " a placa de video pra renderizar, fica em 0, 1 % o uso da placa.
    Comprei essa placa por causa da quantidade de núcleos cuda que ela tem e ate agora não consegui usar o poder da placa. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wagner,

      Usa 100 por cento dos recursos. O Premiere 5, 5.5 ou 6 reconhece qualquer placa de vídeo que seja:

      1 - NVidia GRX ou Quadro;
      2 - Que tenha pelo menos 62 núcleos Cuda;
      3 - Que tenha, no mínimo 1GB de RAM reconhecida pelo Premiere;
      4 - Que esteja rodando a última versão do driver WQL baixado diretamente do site da NVidia;
      5 - Que o Premiere esteja atualizado e totalmente funcional na última versão disponível.

      Quanto a nova GTX 780, acho que a última atualização do CS6 que agora não vai ser mais atualizado, talvez seja necessário modificar o arquivo TXT com os nomes das placas para o Premiere reconhecer.

      Aqui no blog tem um post sobre esse procedimento explicando o passo a passo.

      Abraços,

      Marcelo Ruiz

      Excluir
  3. Olá Marcelo, realmente o Premiere é muito bom, meio complicado mas um bom software de edição .Só que eu estou tendo alguns problemas de codecs por exemplo quando vou exportar um vídeo não aparece a opção MPEG2 - DVD .
    Gostaria de saber quais os codecs necessários para poder exportar os videos seja em DVD ou outros formatos ?

    Eu procuro seguir suas recomendações e funcionam super bem em relação a ilha de edição sobre Hds em Raid 0 e sistemas de refrigeração, placa de vídeo, gabinete, etc..

    A minha configuração é a seguinte:

    CPU i7 950 3.2GHZ sem over

    Placa mãe GA - X58UD3R

    Memória 12 GB 1333 MHZ ( pretendo trocar para 1600 MHZ )

    2 HD SSD de 60GB em raid 0

    2 HD de 1TB em raid 0

    Water Cooler Thermaltake Pro

    Font OCZ 1250W

    GPU GTX 780

    Gabinete Zalman Z5 ( mas não gostei pretendo trocar )

    Ainda não edito em full HD porque não tenho uma filmadora HD mas acredito que meu PC consegue editar sem problemas esse formato.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wagner,

      Quanto a exportação, se estão faltando codecs e profiles no Premiereé pq ele deve estar na versão de avaliação ou a ativação foi mal-sucedida. Quanto a máquina, está muito boa sim. Só três sugestões:

      1 - Na próxima troca de workstation, experimente uma das minhas...:-)

      2 - Coloque mais dois HD de pelo menos 500 GB Barracuda 7200 RPM em Raid 0 para servir de disco de cache e render.

      3 - Ao invés de investir em outras memórias, troque a placa e o processador primeiro. Recomendo X79 e Intel i7 3930K. As memórias atuais vão servir sem problemas e vc vai ganhar performance. Trocar as memos agora de 1333 para 1600 só vai pesar no seu bolso e não vai melhorar nada o desempenho.

      O grande trunfo de sua máquina é a GTX 780. Mas vc só tiras proveito dela totalmente no Premiere CS6 com o Mercury Playback Engine ativado por hardware...

      Abraços,

      Marcelo Ruiz

      Excluir
  4. Olá Marcelo,

    O Mercury Playback Engine esta ativado na GTX 780,quanto as memórias só vou troca-las quando for trocar a CPU e Placa Mãe e em relação ao codec o Premiere foi ativado com sucesso.

    Fiz um teste aqui agora e notei o seguinte ele só usa a GPU se for exportar no seguinte formato:

    Quanto a exportação, se eu usar o formato AVI e o Preset NTSC DV sem alterar nada ele usa entre 23 e 28 por cento da GPU e 23 e 27 por cento da CPU.
    Eu acho pouco uso da GPU, o que você acha?

    OBS :Em qualquer outro formato o uso da GPU é ZERO por cento.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pouco nada... é porque a GPU e A CPU que vc está usando é forte mesmo. Só usa 100% se vc for editar formatos como o Cinema 4K ou o Ultra HD.

      Excluir

Obrigado por sua participação! Asim que eu puder, vou responder! Volte sempre!

Marcelo Ruiz

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.