05/02/2014

Filme antigo e repetido: "E o mensalão levou"


Há muito tempo eu faço questão de denunciar aqui no blog as maracutaias entre a administração pública e as agências de publicidade. O esquema é bem  (ou mal) conhecido do público como o Caso do Mensalão. Só que se enganam aqueles que pensam inocentemente que com o recolhimento dos acusados (apenas uma ínfima parte dos envolvidos), aos presídios, a coisa acabou. O esquema ainda continua ativo e bem obrigado. E todos os órgãos da administração direta ou indireta,  dos governos federal, estadual e municipal, podem  ser contaminados com essa praga. 

Está ai mais um caso. E no coração da república. O vídeo acima trata do esquema de fabricação de dossiês e perfis falsos nas redes sociais para difamar inimigos do governo. Mas o que nós, pequenos produtores independentes de vídeo temos a ver com isso? Nada deveria ser a resposta correta. Embora algiumas produtoras infelizmente façam parte do esquema, a grande maioria é de gente séria que luta para sobreviver em um mercado desleal. Por que desleal? Basta assistir ao vídeo com atenção para descobrir como tudo funciona.


Mas eu dou uma ajuda. Está no trecho 03m15s em diante no vídeo. Prestem muita atenção. No caso da tal Sarkis Comunicação, tudo foi denunciado por uma das próprias pessoas que estavam dentro da maracutaia. Acontece que a tal Sarkis não tinha contrato direto com o governo do Distrito Federal. Claro. Obvio. Assim fica mais fácil para esconder tudo. Então quem contratava a Sarkis? Outra agência de publicidade oficialmente licitada para cuidar da comunicação institucional do Governo do Distrito Federal. 

A verba saia dos cofres públicos, do dinheiro do contribuinte. Do nosso bolso. O esquema é sempre esse. O órgão interessado pede a agência de publicidade, legalmente contratada, para atender as demandas de publicidade e comunicação social, que faça "outros servicinhos". A agencia então contrata quem ela bem entende, sem licitação, muitas vezes até com indicação expressa que vem de dentro do ogão público, para que preste o serviço. A subcontratada realiza o trabalho e emite nota contra a agencia oficial, que por sua vez emite outra nota cobrando do órgão público o trabalho e logicamente cobrando a taxa de administração estipulada no contrato de prestação de serviços.

Era desse jeito que o Marcos Valério agia e é assim que tudo ainda acontece debaixo dos nossos narizes e dos narizes da justiça. Deu pra para entender agora porque você, que tem sua pequena, média ou grande produtora de vídeo mas trabalha sério sem esquema (eu espero), nunca será contratado para fazer aquelas propagandas e VT´s maravilhosos do governo federal? Podendo ser bem remunerado, usando equipamento de ponta e trabalhando com os melhores diretores e atores? Porque as produtoras que pegam todo esse jabá são sempre as "mesmas". Um seleto grupo de meia dúzia de cinco, como se diz na gíria, que pegam todos esses trabalhos. Mas por que só eles pegam? 

É fácil... porque as agências que atendem as contas de governo e orgãos públicos não são obrigadas a licitar os terceirizados e pior: podem contratar, à revelia de processo público e transparente, qualquer outra atividade que não seja a foco de seu próprio contrato. Ou seja: a prestação de serviços de criação de campanhas e assessoria de comunicação. Se o brasil fosse um país sério, essas agências de publicidade fariam apenas o que foram contratadas para fazer: campanhas publicitárias. Os demais serviços, que são consequência desse trabalho, como produção de fotos para impressos, diagramação e impressão de papelaria, outdoors e outros, produção de VT´s comerciais para televisão e web, compra dos espaços de exibição nas diversas mídias e muitos outros, seriam licitados diretamente, em certames individuais e específicos por cada órgão interessado. 

Se assim fosse, todos os participantes dessa cadeia de valor da publicidade institucional teriam chances iguais de concorrência e participação. Do jeito que está hoje, com esquemas tipo mensalão funcionando regularmente em todo o Brasil nas barbas do Joaquim Babosa, tudo ficará como dantes no quartel de Abrantes... 

Grande abraço a todos!

Marcelo Ruiz

Um comentário:

  1. Muito bom o post. Parabéns Marcelo Ruiz.
    Eu nunca tinha visto o assunto por este prisma e agora consigo entender muitas outras coisas.
    É isso aí, muito pertinente sua colocação sobre o assunto. Parabéns mais uma vez.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua participação! Asim que eu puder, vou responder! Volte sempre!

Marcelo Ruiz