terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Workstation PROCS6 2013: liberdade para criar...


Dentro dos próximos dias será entregue a primeira PROCS6 2013 aos amigos da produtora Status Color de São Paulo. A novidade do modelo é a opção de montagem em gabinete tipo Full Tower, além da tradicional montagem desktop. Graças ao Carlos Leite, que ao fazer o pedido insistiu no gabinete vertical por questões de acomodação do equipamento. Eu prefiro as montagens horizontais. Mas aceitei o desafio e acabei encontrado um super gabinete, do mesmo fornecedor, que atendeu meus requisitos. O modelo conta com rodízios que facilitam o deslocamento dos seus 20 kg sem esforço.

O equipamento entra agora na fase final de testes, depois de 80 horas de trabalho de montagem, configuração e ajustes finos de hardware e software. Agora ele passará a fase de testes de estabilidade e desempenho na execução dos programas de edição, antes de seguir para entrega, daqui a 10 dias e dentro do prazo. No total são 20 dias de trabalho e cerca de 160 horas de dedicação ao equipamento. Afinal minhas workstations são como carros esportivos de alto desempenho: produção limitada, fabricação artesanal e funcionamento perfeito. 

Por dentro da PROCS6


Como sempre faço aqui no blog, compartilho com vocês os detalhes da nova PROCS6 2013. Todos os componentes são de primeira linha. Isso faz uma grande diferença. Portanto aqueles que desejem montar suas próprias máquinas, devem estar atentos a qualidade do que compram. Existe muita diferença de desempenho em hardwares com a mesma característica ou especificação. qualquer um pode comprar 16 GB de memória RAM por meros R$ 200,00. Mas um bom jogo de pentes com a mesma capacidade pode custar até R$ 800,00. Uma diferença de 400%. Agora querer que memórias genéricas forneçam o mesmo desempenho que suas companheiras top de linha é ilusão. Esse tipo de economia, levada as demais peças, causa um somatório de precariedade de desempenho que afeta o resultado final. Comprar visando apenas uma economia imediata pode significar prejuízo e aborrecimento depois. Um equipamento estável e mais rápido, se paga também mais rapidamente e dá menos manutenção.

Cada detalhe de um computador de ponta é pensado e repensado. Testado, afinado e trocado até se conseguir o máximo de desempenho. Até a forma como o cabeamento é disposto e organizado dentro do gabinete faz a diferença. Na PROCS6 são usados mais de 60 prendedores de cabo. Aliás é a parte mais demorada da montagem física. Cabos de dados não devem correr paralelos ou enrolados em cabos elétricos, pois podem sofrer o fenômeno da indução, gerando diferenças mínimas de voltagem que podem induzir um componente ao erro. Se os cabos ficam todos soltos dentro do gabinete, vão acabar dificultando o fluxo de ar necessário a refrigeração ou podem causar mau contato nas conexões, gerando bugs difíceis de serem detectados.


PROCS6 em números


Boot desde a BIOS até o Sistema Operacional carregado: 23 segundos
Desligamento: 4 segundos
Carregar Premiere Pro CS6: 2 segundos (até a tela inicial de Projetos Recentes)
Carrregar projeto com média complexidade: 2 segundos
Exportar vídeo Mpeg2-DVD(1) a partir de projeto HD(2) com 7 minutos: 7 minutos
Exportar vídeo h.264 da mesma sequencia:  15 minutos
Criar DVD via Adobe Dynamic Link (video de 7 min): 10 minutos 
Criar DVD com video já exportado em m2v (video de 7 min): 4 minutos


(1) Arquivo m2v, VBR 2 Pass, 
(2) Vídeos HD R3D (Red One) 120 fps+ Videos HD AVCHD Canon 5DMKII 30 fps com efeitos.
Garantia estendida e Programa de Upgrade

Além da garantia estendida de 2 anos (12 meses a mais que a obrigatória), todas as minhas workstations tem asseguradas a opção de upgrade automático, ao final de um ano de uso. Nesse sistema, o equipamento é devolvido, passando por upgrade dos componentes necessários à atualização que a torne igual em especificações ao modelo mais recente em produção. O custo é bem inferior se comparado à venda do equipamento antigo e compra de uma estação nova.

Grande abraço a todos!

Marcelo Ruiz