sábado, 5 de novembro de 2011

Roadmap dos sistemas de edição para 2012

Estamos chegando ao fim de 2011 e muitos colegas, assim como eu, aproveitam o final de ano e férias de janeiro para dar uma melhorada na produtora. Seja comprando novos equipamentos, fazendo reformas físicas e também fazendo a manutenção das ilhas de edição.
Aproveito essa época do ano, pois além de o faturamento melhorar um pouquinho nos últimos meses do ano, as festas de Natal e Ano Novo e as férias escolares de janeiro fazem os clientes diminuírem suas demandas. Para nossa produtora aqui em Brasília, essa período é quase parado em termos de novos contratos. Geralmente eu e meus sócios tiramos férias e damos férias ao nossos colaboradores.
Eu aproveito então para desmontar as ilhas de edição, seja para fazer um upgrade ou mesmo manutenção normal. Tiro todos equipamentos dos armários, reviso cabos elétricos, de áudio e vídeo e faço aquela limpeza. Aproveito para jogar fora o que não tem mais serventia e vendo equipamentos usados (sempre em ótimo estado) que foram substituídos por novos.
Reciclar e renovar é sempre uma ótima oportunidade de fazer circular a energia positiva de um ambiente, seja em casa ou no trabalho. E esse tipo de manutenção preventiva evita dores de cabeça com equipamentos quando o ano realmente começa depois do carnaval!
Para quem vai dar um upgrade nas ilhas de edição ou comprar mais um equipamento para integrar ao patrimônio, aqui vão minhas dicas para 2012.
Cuidado com a compra de novas ilhas. Se você costuma comprar o equipamento já pronto de algum fornecedor ou se, como eu, prefere construir seu próprio sistema do zero, comprando peça por peça, deve ter cuidado de escolher componentes que possam ter uma razoável vida útil.
Quando falo em vida útil não me refiro apenas na questão da durabilidade e qualidade dos componentes. Como o mercado de hardware muda constantemente e os fabricantes de processadores e outros periféricos estão lançando novas tecnologias com uma velocidade impressionante, é bom saber o que comprar para não correr o risco de investir pesado em um sistema e vê-lo ficar obsoleto poucos meses depois.
Então aqui vai o roadmap para 2012. Estou levando em consideraçãoo todas as variáveis em termos de lançamento de novas tecnologias previstas para o ano que vem. São elas:
Processadores:
A Intel anunciou esse semestre que até março de 2012 lançará a nova série de processadores Ivy Bridge. Felizmente os processadores I3, I5 e I7 da série ainda virão com o soquete 1155. Os mesmo que atualmente está presente na segunda geração, a Sandy Bridge. Dessa forma as placas-mãe atuais deverão rodar esses novos processadores, provavelmente sendo necessária a atualização da Bios. Essa nova série Ivy Bridge trará como grande novidade a melhoria da GPU integrada, que vai rodar games e vídeos em 2D e 3D com mais eficiência e também trará suporte nativo para USB 3.0.

Para quem edita vídeos isso não é tão importante, já que atualmente o Premiere CS5.5 não roda o Mercury Play Back em placas de vídeo onboard. E o desempenho desse software só é sentido quando se usa placas dedicadas da NVIDIA com rocessadores Cuda.
A grande novidade da nova geração Ivy Bridge, para os editores de vídeo, é o suporte nativo a próxima geração do slot PCI. O novo padrão PCI-Express 3.0 dobrará a velocidade de banda e permitirá o uso de placas de vídeo mais velozes. Estas ainda não foram lançadas, mas os fabricantes promentem novos modelos para o final de 2012.
Além disso, os fabricantes de placas de captura e edição de vídeo deverão lançar novos modelos com esse padrão. E especula-se que os HDD de estado sólido montados em placas PCI-E, como o OCZ RevoDrive, também utilizem o novo padrão. Provavelmente a nova conexão Thunderbolt, que a partir de abril de 2012 deixa de ser exclusiva dos computadores Apple, deverá ser disponibilizada em placas PCI-E 3.0 tal como foi feito com a moribunda Firewire (IEEE1394) que, antes de vir montada diretamente nas placas-mãe, foi oferecida primeiramente em placas PCI.
Que placa comprar?
O importante é saber em qual chipset apostar. Esse ano foi uma verdadeira sopa de letrinhas no mundo das motherboards. P67, H67, H61 são chipsets que mal foram absorvidos pelo mercado acostumado com a dobradinha X58 e soquete 1366, que reinavam imbatíveis como melhores opções para edição de vídeo. Um exemplo de configuração de sucesso foi o processador I7 990X de primeira geração com placas como a Intel DX58SO2 ou a Asus PX58D Premium, ambas com chipset X58.
A extrema velocidade dos processadores Intel Sandy Brige de segunda geração como o I7 2600K de quatro núcleos surpreenderam e superaram em desempenho até mesmo os processadores de 6 núcleos da série anterior.
A promessa de sucesso para 2012 são as novas placas-mãe baseadas no chipset Z68 da Intel. Mas atenção na escolha. Somente alguns modelos de poucos fabricantes estão realmente preparadas para receber os novos processadores Ivy Bridge. As portas PCI-E 3.0 só funcionarão na velocidade prometida se o processador for da nova geração e o chip correto para fazer a troca de velocidade das portas PCI-E.

Uma boa opção é sem dúvida o modelo Z68Extreme7 Gen3 da AsRock. Nota de 29/12/2012: por enquanto estou recomendando o modelo Z68 Extreme4 Gen3 do mesmo fabricante, devido a relatos não confirmados pela ASRock de aquecimento no chipset ASMedia ASM1061, que controla as 4 portas extras SATA3 do modelo Z68 Extreme 7 Gen3. Mas as demais funcões  dos dois modelos são iguais. Ela já vem com chip que fará automaticamente a troca da velocidade do barramento PCI-E quando detectado um periférico adequado e o processador de nova geração da Intel. Além disso ela vem equipada com nada menos que 6 portas Sata 6Gb/s e mais 4 portas Sata 3Gb/s, permitindo assim uma grande flexibilidade para montagem de sistemas de discos rígidos em RAID. Uma grande novidade da Asus para esse modelo de placa-mãe é a inclusão de um chip chamado PEX8608 proprietário da Asus. A tecnologia PLX resolve um problema sério existente nas pacas equipadas com chipsets P67, H67 e Z68 que é a perda de velocidade de transmissão nas portas PCI-E x1 e x4 quando eram populadas simultaneamente com placas dedicadas, como placas de captura de vídeo, placas de E-Sata e USB 3.0 adicionais.
Com a tecnologia PLX da AsRock todas as portas podem ser usadas simultaneamente sem perda da velocidade de comuicação e transferência de dados. Esse era um grande inconveniente para quem editada vídeos e precisava, por exemplo instalar uma placa de captura em um slot PCI-E x4 ( como uma Blackmagic Studio HD) e uma placa controladora Sata para adicionar mais portas para discos rígidos em RAID por exemplo.







Então, seja quais forem os lançamentos de novos periféricos para 2012, a ASRock Z68Extreme7 Gen3 ASRock Z68 Exrtreme 4 Gen3 dará conta do recado. E como outras novidades em termos de chipset e periféricos, além das já mencionadas até aqui, só chegarão ao mercado nacional em 2013, uma ilha equipada com essa placa terá pelo menos 2 anos de vanguarda tecnológica.

Para quem vai me perguntar sobre o chipset X79 e os processadores Sandy Bridge-E que também estão em fase de pré-lançamento, minha opinião é que serão mais voltados para o mercado de servidores. Além de não terem alguns aperfeiçoamentos como suporte nativo a USB 3.0 e uma arquitetura mais parecida com o chipset X58. Seria como se comparássemos as placas-mãe para servidores para os processadores Xeon e os processadores Core I7.
Já postei aqui no blog artigos falando das vantagens e desvantagens do uso desse tipo de processador para edição de vídeo. O principal ponto a se considerar é o custo-benefício. Pelos rumores de mercado o valor do processador Sandy Brigde I7X3960 de seis núcleos deverá ficar na casa dos US$ 1.000,00. Pelo menos 3 vezes mais caros que os I72600K e com desempenho ligeiramente superior.
Como faço sempre a opção de falar de equipamentos dentro das necessidades e realidade do mercado de vídeo para pequenas e médias produtoras, que utilizam ilhas de edição mais próximas dos PC’s com arquiteturas mais populares, prefiro apostar no chipset Z68 e na nova arquitetura Ivy Bridge.
Então para quem vai preparar os pedidos de Natal ao Bom Velhinho aqui vai a lista completa para montar sua “Dream Machine 2012”. O custo médio atual somente para os componentes de hardware agora em novembro de 2011 seria de R$ 7.500,00. Mas é máquina para rodar tranquilamente vídeos em alta definição sem compressão ou em AVCHD sem travamentos e com muita rapidez nas tarefas de render e exportação. Para quem vai fazer upgrade há uma economia em função do aproveitamento de alguns componentes.

OBS: O modelo de placa-mãe da figura acima é o Z68 Extreme7 Gen3. No momento ão indicamos esse modelo (ler texto) e sim o modelo Z68 Extreme4 Gen3 do mesmo fabricante.








Um comentário:

Obrigado por sua participação! Asim que eu puder, vou responder! Volte sempre!

Marcelo Ruiz

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.