12/03/2012

Quatro novas câmeras com lentes intercambiáveis e formato cinema: 5DMKIII ainda está no jogo? Até a Canon parece duvidar.


É fato. Os grandes sensores e as lentes especializadas intercambiáveis vieram para ficar. A aposta da Red Cinema em 2007, com uma câmera estranha, mais parecida com uma arma futurista, saída de um filme de ficção científica, chamada RED ONE deu certo. Cineastas de todo o mudo passaram a realizar seus filmes totalmente em digital. Mas o custo estava também nas estrelas. A câmera fotográfica DSLR Canon 5DMKII, lançada no mercado em setembro de 2008, com a então inusitada capacidade de captar vídeos em alta definição, foi a responsável por popularizar a idéia entre os realizadores com orçamentos modestos e produtores de filmes e comerciais para televisão.

Agora, cinco anos depois, a expectativa para a NAB 2012 em Las Vegas, a maior feira de tecnologia para televisão e cinema do planeta, é que os fabricantes mostrem mais modelos e acessórios de câmeras de grande sensor. Provavelmente aparecerão também novas opções de lentes especializadas com custo mais acessível, já que os modelos atualmente disponíveis no mercado, geralmente projetados para as antigas câmeras 35mm de película tem custo muito elevado e uma restrita quantidade de fabricantes e revendedores.


Mas independentemente do que seja revelado na grande feira de abril, o mercado já oferece diversas opções de modelos em várias faixas de custo. Nesse post vamos analisar quatro câmeras com preços, digamos, mais acessíveis ao mercado de pequenas e médias produtoras e realizadores independentes. São elas: a Canon E300, as Sony NEX-FS100 e PMW-F3K e a Panasonic AG-AF100. Todas com sensores de grande formato e lentes intercambiáveis. Para servir de parâmetro, em termo de funcionalidades e preço, vamos compará-las com a veterana Canon 5DMKII, câmera já largamente utilizada por profissionais em diversos segmentos do mercado de cinema e vídeo.

Inevitavelmente quando fazemos esse tipo de comparação, recebemos uma avalanche de comentários solicitando indicações de compra. São inevitáveis as perguntas “qual delas é melhor” ou “qual delas você indicaria”. Esses questionamentos nos deixam em uma situação difícil. Além da responsabilidade ética, de evitar beneficiar ou prejudicar um ou outro fabricante e do cuidado e isenção que tentamos com fazer esses comparativos, outros fatores devem ser considerados. Não existe, de um modo geral, equipamento melhor ou pior.

Hoje só fica no mercado quem tem qualidade e principalmente uma assistência pós-venda eficiente. Cada modelo é adequado a um tipo de necessidade técnica ou patamar de disponibilidade financeira, embora a escolha não deva ser feita apenas em função do custo. Uma economia atraente na hora da compra, pode significar maiores custo a médio ou longo prazo. Muitas vezes o equipamento mais barato pode ser até mais difícil de se pagar, em um determinado período de tempo.

Quando analisamos equipamentos semelhantes em capacidades técnicas, um critério coerente quase sempre é o da relação custo-benefício. Como não existe, que eu saiba, uma metodologia padrão para esse tipo de análise, optei por criar a minha própria. Escolhi algumas funcionalidades, que considero importantes em uma câmera de vídeo, atribuindo uma pontuação e somando o total de pontos obtidos. A relação custo-benefício foi obtida dividindo o valor de cada equipamento pelo total de pontos, obtendo o valor necessário para “comprar” cada ponto. Um valor mais alto significa que é necessário mais dinheiro para comprar 1 ponto da cesta de funcionalidades avaliadas.

Critérios de avaliação

Sensor de imagem:
A pontuação mínima foi atribuída aos sensores atualmente em uso na maioria das câmeras profissionais de baixo custo, que não possuem foco seletivo (profundidade de campo) e a máxima ao maior sensor comercial em uso (6K).
1/3”&1/4”
1/2”
2/3”
1”
APS-C
4/3
Super
35 mm
Full Frame
6K
Sensor
1
2
3
4
5
6
7
8

Fator de corte:
Quanto maior o fator de corte, menor é a capacidade da câmera em modo grande angular, prejudicando o desempenho da lente. A nota máxima é atribuída aos sensores de dimensões iguais ao negativo de 35mm, para o qual as lentes de qualidade são projetadas.
10.8 @ 5,4
1/4" @1/2”
3,93
2/3”


2.0
(APS-C)
1.6
(Super 35)
1,29
APS-H
1.0
Full Frame
1
2
3
4
5
6
7
8

Compressão de cor (Chroma subsampling):
A compressão determina a qualidade de reprodução e a separação de cores. A nota máxima foi atribuída ao espaço 4:4:4 sem compressão. E a mínima ao espaço usado pelas câmeras mais simples e baratas.
4:1:1



4:2:0
4:2:2

4:4:4
1
2
3
4
5
6
7
8


Tipo de mídia de armazenamento:
Com o fim do armazenamento em tape, os cartões de memória estão presentes em todos os modelos. A notas foram atribuídas de acordo com o custo e popularidade dos modelos.
SxS
P2

Mem.Stick

CF Card
SD Card
SSD HD
1
2
3
4
5
6
7
8

Quantidade de slots:
 A quantidade de entradas para cartão, ou uso de mais de um tipo de mídia determinaram, entre outras facilidades, a gravação contínua sem perda de frames. A nota mínima foi atribuída aos modelos com apenas 1 slot disponível, mesmo que este aceite vários modelos de cartão. E a máxima aos modelos com 2 slots ou que permitem gravação simultânea em duas mídias diferentes.
1




2

Mais de 2
1
2
3
4
5
6
7
8

Saídas de sinal de vídeo:
Com a popularização do uso de gravadores externos de vídeo, é importante a presença de saídas digitais de alta definição com taxas de compressão menores do que as gravadas nas memórias internas do equipamento. A nota máxima foi atribuída as saídas SDI duplas que permitem captura de vídeos em formato 4K sem compressão. A mínima para modelos com apenas uma saída analógica de baixa definição de vídeo composto.
Composto
S-Video
Componente
HDMI

SDI
HDMI/SDI
2 x SDI
1
2
3
4
5
6
7
8


Ergonomia e praticidade:
O conceito Ruim se refere a equipamentos como alguma deficiência que prejudique o manuseio normal em situações cotidianas ( peso excessivo, má empunhadura, dificuldade de monitoração da gravação, etc.). A nota máxima seria um referencial teórico de perfeição dificilmente atingido por qualquer equipamento.
Ruim
Regular


Boa
Muito Boa

Excelente
1
2
3
4
5
6
7
8
Preço
US$ 25000
US$ 18000
US$ 15000
US$ 10000
US$ 8000
US$ 6000
US$ 5000
US$ 4000
1
2
3
4
5
6
7
8

Acessórios básicos fornecidos com o equipamento:
A/C, Bateria, Microfone, Mídia de Armazenamento, manuais completos, alça de ombro, cabos de áudio e vídeo são equipamentos padrão que deveriam estar presentes no pacote inicial de compra. A ausência de algum item significa um custo maior para colocar o equipamento em condições de trabalho.
Sem acessórios


A/C + Bat
A/C + Bat + Mic Int
A/C + Bat + Mic Ext
A/C + Bat + Mic I/E
A/C + Bat + Mic I/E + Mídia Arm.
1
2
3
4
5
6
7
8

Vamos comparar então os 4 modelos disponíveis no mercado com preço até US$ 25 mil que possuem sensor de grande formato e lentes intercambiáveis. O valor indicado corresponde somente ao corpo sem lentes.

Parâmetro
Panasonic AG-AF100
Sony NEX-FS100
Sony PMWF3L
Canon C300
Tamanho sensor
4/3 18 x 10 mm
MOS 
Super 35mm
23.6 x 13.3mm CMOS
Super 35mm
23.6 x 13.3mm CMOS
Super 35mm
23.3 x 13.8mm
CMOS
Fator de corte
2.0
1.6
1.6
1.6
Esp. de cor
Mídia interna
4:2:0
4:2:0
4:2:0
4:2:2
8 bits
Esp. cor
Mídia externa
4:2:2
8 bits
4:2:2
8 bits
4:2:2/4:4:4
10 bits
4:2:2
8 bits
Tipo de mídia
Interna x qt
2 x SDHC, SDXC
 1 x SDHC, SDXC
2 x SXS
2 x CF Card
Saídas A/V
HDMI/SDI
HDMI
HDMI/Dual SDI
HDMI/ SDI
Ergonomia e praticidade
Boa
Ruim (sem ocular e LCD mal posicionado)
Boa
Muito Boa
Preço
US$ 4.995,00
US$ 5.850,00
US$ 16.800,00
US$15.999,00
Acessórios
A/C e bateria
Mic Interno
A/C e bateria
Mic Externo
Sem A/C
sem bateria
A/C e bateria


Pontuação alcançada 
Parâmetro
Panasonic AG-AF100
Sony NEX-FS100
Sony PMWF3L
Canon C300
Tamanho sensor
 5
6
6
6
Fator de corte
5
6
6
6
Esp. de cor
Mídia interna
5
5
5
6
Esp. cor
Mídia externa
6
6
8
6
Tipo de mídia
Interna
7
7
1
6
Quant. de slots
6
1
6
6
Saídas A/V
7
4
8
7
Ergonomia e praticidade
5
2
5
6
Preço
7
6
2
3
Acessórios
5
5
1
4
Total
58
50
48
56

Relação Custo-Benefício (Preço /Pontuação)
(Menor é melhor)
Modelo
Panasonic AG-AF100
Sony NEX-FS100
Sony PMWF3L
Canon C300
Indice Custo/Beneficio
 86
117
350
285

Como podemos ver nas duas tabelas acima, a Panasonic AG-AF100 recebeu a maior pontuação, seguida de perto pela Canon C300. A Sony NEX-F100 também obteve uma pontuação próxima as duas primeiras e sua irmã PMW-F3L terminou um pouco abaixo das três. Mas como salientei antes, isso não quer dizer que temos vencedores e perdedores. Mas sim equipamentos semelhantes, que devido a certas características para determinado mercado, não pontuou bem naquele item. Se fosse feita a mesma análise para um mercado consumidor de alto orçamento, os parâmetros seriam outros e os resultados também.

Continuando nossa análise podemos observar em seguida a tabela da relação custo-benefício. Aqui já vemos uma modificação nas classificações por pontuação. A Canon C300, que havia ficado em segundo lugar em termos de pontuação absoluta, acabou ficando na terceira posição. E a Sony NEX-FS100, que havia ficado em terceiro lugar por pontos, passou para segundo lugar em termos de valorização do capital investido.

Algumas observações:

Sony PMW-F3L/K


Apesar de ser tecnicamente mais completa e com funcionalidades como Dual Link SDI, que permite a gravação externa de vídeo 4:4:4 sem compressão e a função S-LOG, que aumenta a gama dinâmica do contraste melhorando as definições de sombras e altas luzes, recebeu 2 notas mínimas. A mídia de gravação SXS é muito cara para a realidade da maioria da pequenas e médias empresas, custando quase o valor de uma câmera prosumer. A outra foi no quesito acessórios, pois o modelo além de ser vendido sem ao menos um cartão interno, o que já virou praxe nesse mercado, não vem com bateria nem carregador/adaptador para alimentação externa, fazendo o comprador desembolsar mais alguns milhares de dólares para deixar a câmera operacional.

Os destaques vão para a robustez do equipamento, a tranquilidade da marca Sony, que conta com bom atendimento no país, a gravação em formato XDCAM proporcionando integração a maioria dos sistemas usados nas redes de televisão, a saída Dual Link SDI sem compressão, entradas e saídas para sync e timecode facilitando a integração em sistemas multi-câmera e a função S-LOG que permite a gravação com uma gama maior de contraste e brilho, que podem ser ajustadas na pós-produção. Isso acaba se refletindo no custo inicial, o maior entre os modelos citados, tornando-a um produto fora do alcance das pequenas produtoras.

Canon C300


A Canon sempre foi sinônimo de produtos inteligentes e de qualidade. Ultimamente andava meio em baixa com sua linha de camcorders para o mercado profissional, mesmo com o sucesso da 5DMKII, mas que é um equipamento de fotografia. Conhecida por inovar, lançou em 1997 a primeira câmera formato MiniDV com lentes intercambiáveis. O modelo XL-1, produzido até 2004 e suas sucessoras, a XL2 e o modelo HD XL-H1, mantiveram características como lentes intercambiáveis e filmagem progressiva em 24 e 30 quadros, se tornando ícones entre os cineastas de uma nova geração, que desejavam experimentar novas linguagens. Mas foi perdendo participação no mercado com os lançamentos de seus concorrentes. Em 2008 inovou mais uma vez com a 5D e agora em 2012 tenta recuperar o mercado com a nova C300.

O modelo foi o último, com grande sensor e lentes intercambiáveis, a ser lançado, depois que os concorrentes mostraram suas apostas para esse retorno ao padrão de lentes especializadas. Concorre muito bem com as rivais e também contra seu próprio modelo 5DMKIII recém lançado. Pontuou bem em nossa avaliação, ficando atrás apenas da AG-AF100 e ainda ficando na frente da PMWF3K em custo-benefício. Trata-se de um produto bem equilibrado. Basta ver as notas obtidas (6 em média) em todos os itens avaliados, não tendo recebido nenhuma nota mínima, como os outros modelos avaliados.

O sistema modular, permitindo a retirada de todos os componentes, a gravação interna em 4:2:2 e a oferta de uma ampla variedade de lentes, inclusive as novas primes produzidas pela própria Canon, fazem dela uma competidora de peso. É de se lamentar apenas a falta de uma saída de vídeo para gravação externa em formato 4:4:4 e a difícil decisão da Canon de não equipa-la com o mesmo sensor Full-frame da 5DMKII, talvez até para evitar o fogo amigo. Especula-se que a Canon vá apresentar, na NAB desse ano, um modelo semelhante mas com capacidade de gravação em 4K, para brigar com a RED ONE e a ALEXIA da Arri.
Para quem já possui um set bem montado com as excelentes lentes Canon EF, há a opção da C300 com essa montagem , além de outro modelo com montagem PL.
Porém, mesmo sem as lentes, ainda é um modelo para produtoras de maior porte.

Sony NEX-FS100



A NEX100 é como certos modelos-conceito de automóveis, apresentados nos grandes salões: ou você se apaixona de cara ou detesta. Um tijolo com aspecto robusto e mal encarado, mas cheio de virtudes e alguns pecados. Entre as virtudes, destacam-se o sensor Super35mm, a boa oferta de lentes da linha E-Mount da Sony, somada a possibilidade de uso de diversos outros modelos, inclusive PL, com acoplamento de anéis de adaptação. O preço, na casa dos US$ 5 mil a coloca entre as possibilidades de aquisição por pequenas e médias produtoras.

Entre os pecados um tanto imperdoáveis, dependendo da finalidade de uso, a falta de uma conexão de saída de vídeo SDI sem compressão, embora possua uma saída HDMI, que segundo a Sony permite a gravação externa em 4:4:4, embora ainda não existam equipamentos com essa especificação. Outros dois pontos que a fizeram receber notas mínimas foram a presença de apenas um slot de cartão, impossibilitando gravações contínuas e o visor híbrido LCD, que se não bastasse a necessidade de instalação de um acessório para transforma-lo em ocular, está posicionado no topo do equipamento, impossibilitando a visualização da captura em posições de câmera acima da cabeça, sendo necessário para isso a adaptação de um monitor externo.
Se esses detalhes não são um problema para suas necessidades de uso, com certeza  a Sony NEX-AF100 é uma excelente opção de aquisição.

Panasonic AG-AF100


Mesmo não tendo recebido tantas notas 6 como o restante dos modelos avaliados, acabou ficando com a maior soma de pontos e a melhor relação custo-benefício, inclusive na comparação, que veremos a seguir com outros dois modelos bastante acessíveis e populares. Quem já gostava da temperatura de cor e as possibilidades de configuração manual das lendárias HVX100 e HVX200, vai se apaixonar definitivamente por esse novo brinquedo. Para isso vai contribuir também o preço abaixo dos US$ 5 mil e a possibilidade de uso de uma gama quase infinita de lentes.

A câmera vem equipada com montagem Micro Four Thirds, desenvolvida pela Panasonic em conjunto com a Olympus. Esse sistema já conta com uma oferta razoável de lentes das duas marcas, bem como de fabricantes de excelência como a Leica. A Panasonic tratou de incentivar os fornecedores a fabricarem prontamente diversos tipos de adaptadores para quase todos os modelos de lentes fotográficas e de cinema. Acertou em cheio ao abandonar, nesse modelo, o uso do caro cartão P2, optando pelo formato SD Card bem mais barato e popular. Acertou ainda oferecendo saídas HD/SDI com vídeo sem compressão e Entradas e saída para Time Code, além das tradicionais analógicas e ainda HDMI.

É a única, entre os quatro modelos, que oferece microfone interno, embora entre os acessórios não seja fornecido o externo. Em compensação, geralmente é vendida aqui no Brasil, com uma razoável lente Lumix HD 28-280 F4.0 com preço quase igual ao modelo sem lente. Um equipamento com essas qualidades poderia ter saído com um sensor um pouco maior que o 4/3, o que elevou o fator de corte, de 1,6 dos outros três modelos, para 2.0 e com isso dificultou um pouco a escolha de lentes. A menor lente da linha Lumix, uma razoável 14mm F2,5, se transforma em 28mm, quando convertida para a equivalência a 35mm. Mas para quem já está acostumado aos 31mm de wide de modelos como a Sony Z5 ou NX5 isso não representará um grande problema.

Vamos ver a seguir a comparação dos dois modelos como melhor custo-benefício, nesta etapa, com outros dois equipamentos largamente utilizados por produtoras pequenas e médias, por seus preços e versatilidade:

Parâmetro
Panasonic AG-AF100
28-280 F4,0
Sony NEX-FS100 c/ lente
27-300 F3,5
Canon 5DMKII
24-105 F4,0
Sony HXR-NX5N c/ lente
30-600 F4,1
Tamanho sensor
4/3 18 x 10 mm
MOS 
Super 35mm
23.6 x 13.3mm CMOS
Full Frame
36 x 24mm CMOS
1/3
Fator de corte
2.0
1.6
1.0
7
Esp. de cor
Mídia interna
4:2:0
4:2:0
4:2:0
4:2:0
8 bits
Esp. cor
Mídia externa
4:2:2
8 bits
4:2:2
8 bits
-
4:2:2
8 bits
Tipo de mídia
Interna x qt
2 x SDHC, SDXC
 1 x SDHC, SDXC
2 x SXS/CF
2 x SDHC
Disco Rígido
Saídas A/V
HDMI/SDI
HDMI
AV Composto
HDMI/ SDI
Ergonomia e praticidade
Boa
Ruim (sem ocular e LCD mal posicionado)
Pessima
Muito Boa
Preço
US$ 5.684,00
US$ 6.550,00
US$ 4.299,00
US$ 4.950,00
Acessórios
A/C e bateria
Mic Interno
A/C e bateria
Mic Externo
A/C e Bateria
Mic interno
A/C e bateria
Mic int e Ext


Pontuação alcançada 
Parâmetro
Panasonic AG-AF100
28-280 F4,0
Sony NEX-FS100 c/ lente
27-300 F3,5
Canon 5DMKII
24-105 F4,0
Sony HXR-NX5N c/ lente
30-600 F4,1
Tamanho sensor
 5
6
8
1
Fator de corte
5
6
8
1
Esp. de cor
Mídia interna
5
5
5
5
Esp. cor
Mídia externa
6
6
-
6
Tipo de mídia
Interna
7
7
1
7
Quant. de slots
6
1
6
7
Saídas A/V
7
4
1
7
Ergonomia e praticidade
5
2
1
6
Preço
6
6
8
7
Acessórios
5
5
5
7
Total
58
50
43
54

Relação Custo-Benefício (Preço /Pontuação)
(Menor é melhor) 
Modelo
Panasonic AG-AF100
28-280 F4,0
Sony NEX-FS100 c/ lente
27-300 F3,5
Canon 5DMKII
24-105 F4,0
Sony HXR-NX5N c/ lente
30-600 F4,1
Indice Custo/Beneficio
 86
117
100
92

Conclusão:

Mesmo quando comparadas a modelos de baixo custo e grande popularidade como a Canon 5DMKII e Sony HXR-NX5N, presentes hoje em quase todas as produtoras de pequeno e médio porte, a Panasonic AG-AF100 e a Sony NEXFS100 se saíram bem. Sendo que o modelo da Panasonic ficou com um destacado primeiro lugar. Volto a dizer que isso não representa uma superioridade absoluta e nem deve pautar a decisão de aquisição isoladamente.

Se você trabalha com eventos sociais e fotografia a Canon 5DMKII ou a nova 5DMKIII se sairão muito bem, pois nesse tipo de evento, geralmente coberto por mais de uma câmera, não há necessidade de tomadas contínuas de mais de 12 minutos, limitadas pelo formato de arquivo da 5D. Caso seu foco seja os documentários e filmes de publicidade, a escolha pode recair na Sony FS100, por sua excelente qualidade de imagem e a versatilidade da troca de lentes. Caso você necessite gravar eventos mais longos, com uso de corte ao vivo por switcher, terá que investir em adaptadores HDMI/SDI para poder conectar sua câmera a mesas de corte e/ou gravadores externos.



A Panasonic AG-AF100, por sua extrema versatilidade ao poder gravar em mídias SD Card continuamente com o recurso de REC-Relay, a possibilidade de conexão em HD/SDI sem compressão para periféricos externos, inclusive com uso de sincronismo via TC, o sensor de grande formato, as lentes intercambiáveis e ainda a função de capturar fotos em 12 MP, mesmo durante a gravação de vídeo, aliados ao baixo custo, correspondente a uma câmera de lentes fixas, fazem da AF100 a escolha mais apropriada para o segmento das pequenas e médias produtoras.

E para finalizar esse artigo, deixo abaixo alguns trechos do excelente vídeo do diretor de fotografia inglês Philip Bloom, postado em seu blog Philipbloom.netcomparando os resultados obtidos com os modelos avaliados aqui e outros que futuramente falaremos.


Grande abraço a todos!

Marcelo Ruiz




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação! Asim que eu puder, vou responder! Volte sempre!

Marcelo Ruiz