domingo, 27 de maio de 2012

Nova câmera da Sony no pedaço: uma opção para fugir do AVCHD



A Sony colocou no mercado um novo modelo de câmera de mão, a PMW-100, menor que os atuais modelos como a Z5 ou NX5, que traz como principal atração o uso do codec MPEG2 , nosso velho conhecido. É uma opção para quem está tendo dificuldades com o AVCHD e quer um equipamento barato e com boas opções de saídas de vídeo.

Mas como sempre, a prática nada agradável, que os fabricantes tem teimado em manter, de lançar um modelo novo ao invés de melhorar os existentes ainda é a regra. E sempre com aquela desagradável postura de deixar de fora características importantes de outros modelos ao invés de incorporá-las. Antes de passar a descrição do novo equipamento não podemos deixar de falar um pouco sobre isso.


As modificações, desde que tragam ganhos em qualidade e avanço técnico, são sempre bem vindas. Mas trazer essas melhorias a custa de deixar de fora outras já consagradas,  me parece uma forma meio desleal de forçar vendas e tentar manter produtos defasados ainda nas prateleiras dos revendedores.  A nova PMW-100 incorpora novidades como o formato de baixa compactação MXF HD422, que mesmo rodando ao dobro da quantidade de dados do AVCHD, é mais leve para editar por não estar tão compactado.

Mas porque esse novo codec não foi introduzido na ótima HXR-NX5U, que está fazendo tanto sucesso não apenas aqui no Brasil como em outros países? A Sony dá uma explicação parcial dizendo que apenas a mídia SxS formatada em UDF pode gravar a essa velocidade do codec. Há controvérsias, pois um cartão SDxC classe 10 pode gravar a taxas de 70 Mbps. Podem existir outras razões como o pagamento de licenças de propriedade.

A nova PMW-100 oferece pela primeira vez saídas HD/SD-SDI e conexões para envio e recebimento de timecode em um modelo de formato pequeno. A NX5 já oferecia a saída HD-SDI, motivo do seu grande sucesso, faltando apenas uma saída/entrada de timecode profissional. Nas demais características a NX5 é superior, notadamente suas lentes fixas série G, com 3 anéis independentes para foco, zoom e íris, além de uma maior faixa de distâncias focais, coisas que a nova PMW-100 peca por não oferecer.



A intenção da Sony foi lançar um produto mais voltado para os grandes canais de televisão, que utilizam modelos como  a PMW-500 de ombro e estúdio e as PMW-EX1/EX3 para reportagens externas, e que muitas vezes necessitam de câmeras mais baratas para reportagens mais sensíveis ou com risco de perda ou destruição do equipamento. Na verdade a PMW-100 tem todas as características de codec e mídia de gravação, além das saídas da EX3, perdendo apenas no quesito lentes. Obviamente o preço é 50% inferior, cerca de US$ 4,5 mil, ao nosso ver ainda caro para um modelo tão pequeno e com lentes não muito apropriadas.

Mas para pequenas produtoras que prestam serviços para redes de televisão e fazem comerciais de baixo custo para exibição local ou regional. O modelo poder ser de boa utilidade. Vamos então as principais características.

A nova Sony PMW-100 é a primeira câmera formato de mão a suportar o codec MPEG2 HD422 @ 50Mbps. É uma boa companhia para a PMW-500 XDCAM HD422 formato de ombro. Com seu sensor de 1/3” Full HD Exmor de 1920 x 1080, segundo a Sony, é capaz de captar imagens com alta resolução, alta sensibilidade, baixo ruído e uma larga faixa dinâmica, em um formato pequeno de corpo. A PMW-100 pode ser usada em SD ou HD. Ela pode ser programada para gravar em MPEG2 a 50 Mbps em arquivos MXF, os mesmos usados atualmente nos discos óticos da Sony que as grandes redes de televisão estão adotando como formato de entrega de comerciais e outras produções. Mas isso apenas nos cartões SxS no formato UDF. Ela pode ser programada para gravar também em formato XDCAM EX, desde que os cartões SxS sejam formatados em FAT, gerando arquivos compatíveis com o formato gravado pelas Sony PMW-EX1 e EX3 ou PMW-320/350. Para capturas em SD podem ser feitas gravações em DVCAM em formatos MXF ou XDCAM EX.

Características principais:

Sensor de 1/3” Exmor CMOS
Gravação em 50Mbps MPEG HD422 em arquivos MXF (modo UDF apenas)
Gravação e playback em formato SD (DVCAM)
Lentes fixas com 10x de zoom (f= 5.4 - 54 mm) (modos servo/manual)
Dois slots para cartões de memória ExpressCard SxS
Gravação de até 4 horas em qualidade máxima usando 2 cartões SxS de 64 GB
Modos de gravação em formatos UDF (compatível com disco ótico) ou FAT (compatível com XDCAM EX) para obter fluxos de trabalho e resoluções similares com os sistemas existentes de Disco Ótico Sony ou gravadores XDCAM EX
Função NightShot
Baixo consumo de energia
Formato compacto e de baixo peso (1,8 Kg)
LCD de 3,5”16:9
Slow & Quick motion
Assistente de foco como ampliação no visor
Função Slow Shutter
Abertura de íris por angulo, opcional
Gravação em modo Picture Cache
Gravação de áudio em 4 canais
Saídas HD/SD-SDI e composta/HD-Y
Interface USB para conexão da câmera como leitora de cartão
Seis padrões de Gamma Standart e quatro de HyperGama
Preço sugerido: US$ 4.500,00

Grande abraço a todos!

Marcelo Ruiz

Nenhum comentário: