domingo, 19 de janeiro de 2014

Sony lança camcorder compacta 4K voltada para o mercado profissional.


A Sony acaba de lançar uma nova camcorder dentro da faixa de preço para o mercado de baixo orçamento (pelo menos para os felizes clientes fora do Brasil) e com a novidade da captação em 4K. Com preço sugerido de US$ 6.350,00 no site de produtos broadcast da empresa, a PXW-Z100 se situa na faixa intermediária de preços entre as populares e as mais sofisticadas. E não deve ser confundida com o modelo FDR-AX1, que externamente é idêntico, porem com preço bem menor (US$ 4.499,00) e voltada para o público amador.

A FDR-AXI trabalha com uma compressão de vídeo inferior a sua irmã profissional (4:2:0) e capta, na verdade, vídeo em Super HD, ou seja, 3840×2160 60P @ 150 Mpps em compressão 4:2:0, enquanto a Z100 capta em 4096 x 2160 60P @ 600Mpps em compressão 4:2:2. A Sony também entrou na febre da “super alta definição" para o mercado de vídeo doméstico, que já contagiou players como a JVC, a GoPro, e até mesmo fabricantes de aparelhos celulares. Mas a Z100 é um produto de padrão profissional para aplicações profissionais, com um codec robusto (XAVC) e já utilizado nas Sony F5 e F55. A compressão em 4:2:2 também leva a qualidade de imagem e separação de cores a outro patamar do que estávamos acostumados com o AVCHD 4:2:0.

 
Cuidado para não confundir o modelo para uso amador (FDRAX1) com a versão profissional PXWZ100!
O preço é um pouco salgado para esse formato de entrada. Pois muitos dos custos com projeto e design de componentes já foram diluídos pela adaptação do modelo de chassis e outras soluções projetadas para as anteriores Z1, Z7, Z5, NX5 e a nova NX3. O que sugere que seu preço poderia muito bem ficar no patamar dos US$ 4.600,00 que é o preço cobrado atualmente pela versão amadora. 

A nova Sony PXW-Z100 até no sufixo Z1 lembra os primeiros passos da famosa Sony HVR-Z1U que foi um marco na introdução da lata definição acessível a produtoras de baixo orçamento. E a Z100 pode abrir essa nova trilha. Embora, como vou falar adiante, é necessária cautela com essa nova modinha. Não estou falando mal do formato 4K e nem sou anacrônico. Mas é preciso saber separar muito bem o joio do trigo para não cair em roubada. Mas primeiro vamos às características do novo modelo.

A Z100 utiliza o novo sensor CMOS retro iluminado IMX117CQT de 1/2.3” com 12.40 Mpixel, cuja resolução efetiva chega a 4096 x 2160 pixel em velocidades de até 60 fps e compressão de 10bits (4:2:2). Medindo 7,22 mm na diagonal visual (em 16:9), esse sensor foi desenvolvido para uso tanto em câmeras fotográficas quanto filmadoras. Portanto a nova câmera, apesar de captar vídeos em 4K, não utiliza sensor Full Frame como a F700 ou mesmo a nova câmera fotográfica com capacidade de captar vídeos Full HD:  a Sony Alpha A7R.

Portanto não se deve esperar muita diferença, em termos de profundidade de campo, dos demais modelos com sensores pequenos. As lentes fixas também limitam as opções estéticas permitidas por lentes prime ou de formatos especiais. Por outro lado, a qualidade para vídeos em HD (1080P) deve ser muito melhor. A proposta da Z100, começando com seu preço para entregar 4K, é ser um equipamento robusto e confiável, com simplicidade de uso e foco em um determinado tipo de trabalho. O novo codec Sony XAVC 4k (4096x2160) Intra frame 4:2:2 10-bit em formato MXF @ 60p [600Mbps] ou 30P [300Mbps], a primeira vista impressiona.

O lado negativo é que mesmo sendo robusto o bastante para suprir demandas em projetos 4K para o mercado broadcast ou web (que ainda não existe), não se presta ao cinema comercial. Ninguém espere magicamente que o James Cameron aposente suas Sony CineAlta F65 ou Arri Alexa 35 para se beneficiar da redução de peso, custo e maleabilidade da Z100. Não existe almoço grátis.

Para o mercado de documentários sérios para a televisão a cabo em HD e para o cinema comercial, o mais importante não é a resolução, motivo porque a maioria das produções são rodadas em 2K e a câmera queridinha de todos os diretores exigentes é a Arri Alexa que NÃO filma em 4K ( mas fornece um 2K imbatível). O que importa para produções de alto nível de complexidade, que vão receber muita computação gráfica para efeitos (FX), o que importa é a não compressão (ou pelo menos pouca compressão) dos arquivos originais. A regra é captar em 4:4:4 na maior taxa de dados possível, para facilitar as correções de cor e inserção de efeitos na pós.

Mas voltando a Z100, os 4:2:2 no wrapper (empacotamento) MXF (a famosa exportação MXF Op1a que a Globo e outras boas marcas exigem) impressionam. Como impressionam também os 600Mbps ou 75MB/s, quando comparados aos humildes e já criadores de dor de cabeça para os editores, 24Mbps ou apenas 3MB/s em AVCHD dos vídeos gerados pela maioria das filmadoras em alta definição mais populares. Embora a compressão seja bem menor em arquivos do tipo MXF, meus leitores podem imaginar que tipo de máquina deverão ter para editar esses brutos de 600Mbps.

Quem quiser se aprofundar mais nesse tema da viabilidade do vídeo 4K nesses tempos atuais, deve ler os dois excelentes artigos do Paulo de Andrade do blog Vídeo Guru. Não vou entrar em detalhes técnicos que são importantes para compreender o tema, porque o Paulo quase esgotou o assunto. Aqui estão os links:


Assim como a moda do HD, introduzida no mercado popular de produção coma Sony Z1 e Panasonic HVX200 ainda não maturou completamente no Brasil. Mesmo após uma década de existência (sim... a Z1 foi lançada em 2004!) ainda entregamos nossos trabalhos, à grande maioria dos clientes particulares e corporativos, no bom e velho DVD em baixa definição. Cliente com BluRay ainda é minoria e Alta Definição um mito.

Imaginem então os tais 4K? Como disse o Paulo em seu artigo: KKKKKK...! Ainda levaremos alguns anos ou talvez uma década para vermos os 4K efetivamente implantados nos mercados comerciais de televisão aberta. No cinema ele já está timidamente criando seu espaço. Pelo menos nas salas de exibição, que aos poucos vão recebendo upgrades nos projetores digitais, de 2 para 4K. Mas a produção pode continuar sendo feita em 2K, pois esses projetores podem fazer o upscaling sem que o espectador comum note a diferença. Onde o vídeo 4K deve chegar mais rápido é no mercado de televisão a cabo, venda de filmes pela web (Netflix e outros) e no YouTube, que já aceita uploads no formato e já tem diversos vídeos em 4K.

Mas continuando com a Z100, se a Sony salgou no preço, pelo menos está oferecendo uma conexão HD/SD-3GSDI que é fundamental e necessária para transferir os 600Kbps dos cartões de memória com rapidez ou para o monitoramento profissional em telas 4K com SDI. Ela conta ainda com entrada/saída de timecode através de conector independente SDI para operação em ambientes multi-câmera, como gravação de eventos ao vivo ou em estúdios.
Sony Z100: Nova mídia XQD e fartura de coneções. Uma saída 3G-SDI está presente junto com conector para timecode e saída HDMI. 

O que mais? O microfone externo condensador ECM-XM1 (que eu reclamei que deixou de ser entregue na NX3) também é fornecido como padrão junto com os demais itens tradicionalmente oferecidos pela Sony dentro das caixas de suas câmeras profissionais. O modelo tem capacidades WiFi para controle remoto via smarphones ou tabletes e deve receber, durante o ano de 2014, uma atualização de firmware que provavelmente permitira o envio de proxies em baixa taxa de dados diretamente para dispositivos wireless conectados a web. Bola dentro dessa vez Sony!
Novos cartões Sony XQD: Velocidades impressionantes (até 1,4 Gbps) mas preparem os computadores!

Em matéria de mídia de gravação também temos novidade. A Z100 utiliza os novos cartões proprietários de memória XQD, padronizados pelo CompactFlash Association e tendo como interface interna a porta PCI-E. Isso significa maior facilidade para produtores de notebooks oferecem slots de leitura para essa mídia em seus produtos, como já aconteciam com os Cartões SXS que podiam ser lidos pelos slots Express Card 34 existentes em muitos notebooks, bastando apenas a instalação do driver da Sony.
Você vai precisar de um monitor muito mais caro que a Z100 para ver seus gloriosos 4K!

Mas antes de vocês correrem para encomendarem suas Z100, devem entender onde estão se metendo. Algumas dicas já foram dadas nesse post e em outros que venho publicando. Excelente e detalhada explicação deu nosso companheiro do blog Vídeo Gurú. E não custa relembrar aqui as principais:
  1. Falta de um mercado robusto a curto e médio prazo;
  2. Maior gasto em captação e pós produção;
  3. Necessidade de computadores potentes para aguentar o formato;
  4. Falta de qualidade de captação para os padrões de cinema comercial;
  5. Necessidade de aquisição de monitores 4K profissionais ou mesmo consumer grade para assistir ao material captado ou editá-lo com confiança;
  6. Falta de uma mídia adequada para entregar e visualizar o material depois de editado (BluRay não grava e nem lê 4K);
  7. Pouca informação sobre o assunto disponível para pesquisa e solução de problemas;
  8. Falta de padronização.

Mas não podemos negar que existam algumas vantagens. A captação pelo sensor com quatro vezes mais pixels que o padrão HD deve proporcionar imagens em 1920 x 1080 com melhor qualidade do que as câmeras com sensores HD. A possibilidade de reenquadramento das imagens em 4K no frame HD, podem dar ao diretor/editor mais possibilidades de montagem. E se um close-up foi esquecido na captação, embora não seja a mesma coisa, devido à profundidade de campo e detalhes finos, o reenquadramento pode salvar o dia. E as outras câmeras que podem permitir esse macete são caras demais ou ruins demais
.
Segue abaixo uma comparação da Z100 com a NX5. Não comparei com a NX3 porque a Z100 traz componentes que encarecem custos e que não estão presentes na NX3, mas constavam da NX5. Basicamente as únicas diferenças são o novo sensor 4K, o novo formato de gravação decorrente do novo sensor e a mídia de gravação XQD.

Câmera
PXW-Z100 (US$ 6.350)
HXRNX5U (US$ 4.499)
Built-in Optical Filters
Clear
1/4
1/16
1/64
Clear
1/4
1/16
1/64
Gain
0 3 6 9 12 15 18 21 dB AGC
-6, -3, 0, 6 9 12 15 18 21 dB AGC
Imaging Device
1-chip 1/2.3” back-illuminated
12.4 Mpixel 10 bits
 "Exmor R" CMOS Sensor
3-chip 1/3”
1 Mpixel
"Exmor" CMOS Sensor
Minimum Illumination
60P : 4lux(1/30 Shutter Speed)
50P : 3lux(1/25 Shutter Speed)
1.5 lx (auto gain, auto iris, 1/30 shutter)
Optical System
Single sensor
3 CMOS
Shutter Speed (Time)
Auto/Manual selectable,
1/3 sec to 1/9,000 sec
Auto/Manual selectable,
1/3 sec to 1/9,000 sec
Slow & Quick Motion
Function
1080p: 1.2.4.8.15.30,60 fps

120 fps (fixed) as improved Smooth Slow Rec maximun time 5 sec.
Slow Shutter
1/4, 1/8, 1/15, 1/30 sec.
1/4, 1/8, 1/15, 1/30 sec.
White Balance
Preset (outdoor 5600 K),
Memory A/B, ATW
Preset (outdoor 5600 K),
Memory A/B, ATW

Espec. Gerais
PXW-Z100
HXRNX5U

Battery Time
165 min with NP-F970 battery
(while recording, EVF On)
160 min with NP-F970 battery
(while recording, LCD monitor On)
170 min (2h 50m) with 32GB Memory Stick PRO-HX Duo FX (24Mbps) Linear PCM 2ch recording

Built-in Microphone
Omni-directional stereo electret
condenser microphone
Omni-directional stereo electret
condenser microphone

Dimensions
(W x H x D)
189x193x362 mm
189x193x362 mm

Mass
Approx. 2.75 Kg
(with lens hood, eye piece,
NP-F970 battery,
ECM-XM1 microphone.)
Approx. 2.75 Kg
(with lens hood, eye piece,
NP-F970 battery,
ECM-XM1 microphone.)

Operating Temperature
0°C to +40°C
0°C to +40°C

Power Consumption
14.9 W (while recording, EVF On)
15.2 W (while recording, LCD On)
14.9 W (while recording, EVF On)
15.2 W (while recording, LCD On)

Power Requirements
12.0V (AC Adaptor)
7.2V (battery pack);
12.0V (AC Adaptor)
7.2V (battery pack);

Recording Format
[VIDEO]
XAVC 4k(4096x2160)
/QFHD(3840x2160)
Intra 4:2:2 10-bit MXF
60p[600Mbps]
50p[500Mbps]
30p[300Mbps]
25p[250Mbps]
24p[240Mbps]

XAVC Full HD(1920x180)
Intra 4:2:2 10bit MXF
60p[223Mbps]
50p[223Mbps]
30p[112Mbps]
25p[112Mbps]
24p[89Mbps]

[AUDIO]
LPCM 8CH (2CH rec/pback)
24-bit, 48-kHz
AVCHD FX (24Mbps) 1920x1080/60i
AVCHD FH (17Mbps) 1920x-1080/60i
AVCHD HQ (9Mbps) 1440x1080/60i
AVCHD LP (5Mbps) 1440x1080/60i
AVCHD FX (24Mbps) 1920x1080/24p
AVCHD FH (17Mbps) 1920x1080/24p
AVCHD FX (24Mbps) 1920x1080/30p
AVCHD FH (17Mbps) 1920x1080/30p
AVCHD FX (24Mbps) 1280x720/60p
AVCHD FH (17Mbps) 1280x720/60p
MPEG2 SD HQ (9Mbps) 720x480/60i
MPEG2 SD HQ (9Mbps) 720x480/60i
(24p Scan)
MPEG2 SD HQ (9Mbps) 720x480/60i
(30p Scan)

Recording Frame Rate
XAVC 4K (4096 x 2160):
23.98p/25p/29.97p/50p/59.94p
XAVC QFHD (3840 x 2160):
23.98p/25p/29.97p/50p/59.94p
XAVC HD (1920x1080):
23.98p/25p/29.97p/50p/59.94p
AVCHD 1080 24P, 30P
AVCHD 1080 60i
AVCHD 720 60P
MPEG2 SD 24P, 30P, 60i

Recording/Playback Time
XAVC 4k(4096x2160)/
QFHD(3840x2160)
Intra 4:2:2 10-bit MXF
With 64 GB XQD card:
60p[600Mbps] 20min
50p[500Mbps] 30min
30p[300Mbps] 40min
25p[250Mbps] 50min
24p[240Mbps] 60min

XAVC Full HD(1920x180)
Intra 4:2:2 10bit MXF
With 64 GB XQD card:
60p[223Mbps] 60min
50p[223Mbps] 60min
30p[112Mbps] 120min
25p[112Mbps] 120min
24p[89Mbps] 150min
170 min (2h 50m) with 32GB Memory Stick PRO-HX Duo FX (24Mbps) Linear PCM 2ch recording

Media format
 XQD memory card
Memory Stick PRO Duo
Memory Stick PRO Duo (High Speed)
Memory Stick PRO Duo (Mark2)
Memory Stick PRO-HG Duo
Memory Stick PRO-HG Duo HX

Storage Temperature
-20º C to +60º C
-20º C to +60º C


Inputs/Outputs
PXW-Z100
HXRNX5U
Audio Input
XLR-type 3-pin (female) (x2),
line/mic/mic +48 V selectable
XLR-type 3-pin (female) (x2),
line/mic/mic +48 V selectable
Audio Output
RCA pin (L/R)
RCA pin (L/R)
Composite Output
RCA pin
RCA pin
DC Input
DC jack
DC jack
HDMI Output
Type A (x1)
Type A (x1)
Headphone Output
Stereo mini jack (x1)
Stereo mini jack (x1)
MIC
XLR 3-pin (female) (x2)
XLR 3-pin (female) (x2)
Remote
mini mini jack (x1)
mini mini jack (x1)
SDI Output
BNC (x1), 3G-SDI,
HD/SD selectable
BNC (x1), SDI,
HD/SD selectable
Speaker Output
Monaural
Monaural
Timecode Input
RCA pin (Input/Output)
N/A
Timecode Output
RCA pin (Input/Output)
NA
USB
mini-B/USB2.0
Hi-speed/mass-storage (x1)
TypeA/USB2.0
Hi-speed /Host (x1)
mini-B/USB2.0
Hi-speed/mass-storage (x1)

VF
0.45 type color LCD:
852 (H) x 480 (V), 16:9
0.45 type color LCD:
852 (H) x 480 (V), 16:9

Lentes
PXW-Z100
HXRNX5U
Filter Diameter
M72 mm
M72 mm
Focal Length
f=4.1 - 82.0mm equivalent to
f=31.5 - 630mm on 35 mm lens
(16:9)
f = 4.1 to 82.0 mm (equivalent to f = 29.5 to 590 mm on 35 mm lens
(16:9)
Focus
AF/MF selectable
10 mm to ∞ (wide end)
800 mm to ∞ (tele end)
AF/MF selectable
10 mm to ∞ (wide end)
800 mm to ∞ (tele end)
Iris
F1.6 - F11 (auto/manual)
F1.6 - F11 (auto/manual)
Zoom Ratio
20x (optical), servo/manual
20x (optical), servo/manual

Monitoramento
PXW-Z100
HXRNX5U
Built-in LCD Monitor
3.5 inch-type, XtraFine LCD,
852[H] x 480[V] x 3[RGB] ,
16:9 aspect ratio
3.5 inch-type, XtraFine LCD,
852[H] x 480[V] x 3[RGB] ,
16:9 aspect ratio
Viewfinder
0.45” color LCD, 16:9
852[H] x 3[RGB] x 480[V]
0.45” color LCD, 16:9
852[H] x 3[RGB] x 480[V]

Conclusão:
A Sony parece estar focando novamente no seguimento de camcorder compactas, com lentes fixas, sensores abaixo de meia polegada e preço na faixa entre US$ 3 a US$ 6 mil. São modelos voltados ao mercado de eventos sociais e corporativos, documentários de baixo custo e jornalismo de externas. No patamar acima dos US$ 7 mil ficaram os modelos com lentes intercambiáveis, sensores acima de meia polegada até Full 35mm para o seguimento de broadcasting e documentários avançados.

Apesar de continuar a manter sua linha de câmeras fotográficas da linha NEX e Alpha, inclusive com o lançamento das inovadoras Alpha A7 e A7R com sensores Full 35 mm e mais de 30 Mpixel de definição, que podem captar vídeos HD 1920x1080 a taxas de até 60fps, a Sony não parece interessada em entrar na briga das câmeras fotográficas que filmam. Na verdade, apenas a Canon, a Panasonic e a Blackmagic estão nesse mercado.
 
Sony Alpha A7R de 34 Mpixel: As DSLR convencionais ameaçadas. Mas a qualidade do vídeo HD decepciona.
Depois do impacto e da revolução iniciada como a Canon 5DMKII, o mercado parece ter esfriado um pouco. A ideia da 5DMKII era ser uma opção as caríssimas RED ONE, ARRI e Sony CineAlta F65. Permitindo que cineastas iniciantes e sem muitos recursos pudessem realizar seus projetos para cinema. Os demais segmentos que embarcaram nessa onda, como a produção de comerciais e documentários para televisão e mesmo os profissionais de eventos sociais, aproveitaram o salto de qualidade, mas sentiram os custos de implantação e a saturação do mercado.

O grande trunfo das DSLR como as 5DMKII e III e as Panasonic GH2 e GH3 eram as possibilidades estéticas com as experimentações de lentes diferentes das tradicionalmente oferecidas pelos fabricantes em kits junto com o corpo ou venda avulsa. O que se viu foi uma pasteurização de imagens, que apesar de mais definidas e com truques como o uso da profundidade de campo, logo caíram no lugar comum.
As imagens das DSLR podem ficar excepcionais...O problema é a parafernália necessária para isso...

A realidade é que o mercado, em todos os segmentos, está extremamente competitivo. As margens de lucro caíram e a demanda está abaixo da oferta. Nesse cenário, qualquer perda de tempo ou aumento na complexidade no processo de captação, edição e finalização gera custos que põem em risco o retorno do investimento. A internet vem se firmando como o maior mercado de exibição para conteúdos de todos os tipos. A demanda por consumo de notícias, documentários e mesmo séries e filmes exclusivamente para web, mudou a forma de fazer e o timing das produções audiovisuais. Muitas vezes a efemeridade é a característica básica.

Então os meios de produção também devem acompanhar essas demandas. E para o trabalho de guerrilha que é a produção web, o equipamento tem que ser prático, leve e versátil. Não é sem motivo que todas os lançamentos de câmeras em 2013 e 2014 estão oferecendo conectividade via rede sem fio e codecs leves e apropriados para hospedagem e veiculação na web. Então vamos ficar atentos para não perder o bonde da história.

Grande abraço!


Marcelo Ruiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação! Asim que eu puder, vou responder! Volte sempre!

Marcelo Ruiz

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.